De acordo com a agência provincial de gestão de desastres paquistanesa, sete pessoas morreram após os telhados das suas casas desabarem entre a noite de segunda-feira e hoje em Quetta, capital da província do Baluchistão (sudoeste).

Dois corpos arrastados pelas inundações foram hoje encontrados perto de uma barragem. Entre os nove mortos, segundo as autoridades locais, encontram-se mulheres e crianças.

O número de mortos poderá ser maior, já que várias pessoas foram dadas como desaparecidas. As equipas de resgate estão a usar barcos para procurar os desaparecidos.

As autoridades dizem que as chuvas torrenciais, que começaram na segunda-feira e continuam, danificaram dezenas de casas no Baluchistão.

Desde junho, as chuvas mataram 38 pessoas e danificaram mais de 200 casas em todo o Paquistão, incluindo no Baluchistão.

As fortes chuvas de monções também colocaram hoje o oeste da Índia em alerta, devido ao transbordamento de rios, deslizamentos de terra e inundações que afetaram principalmente a cidade de Mumbai e os seus 20 milhões de habitantes.

As autoridades do estado de Maharashra, do qual Mumbai é a capital, emitiram hoje um alerta em pelo menos seis distritos face ao possível aumento dos níveis da água e ordenaram o envio de equipas de resgate para preparar a retirada de civis, informou o chefe do governo regional, Eknath Shinde, na rede social Twitter.

A situação é especialmente delicada em Mumbai, onde alguns dos principais rios transbordaram devido ao fluxo de água muito acima do nível normal, afetando seriamente vários subúrbios, acrescentou Shinde.

As chuvas intensas também causaram danos materiais, sobretudo o desabamento de várias casas devido a deslizamentos de terra, que, até ao momento, não registaram vítimas.

A previsão do Serviço de Meteorologia da Índia (IMD) é de uma "precipitação bastante generalizada com tempestades", principalmente no oeste e sul da Índia, durante os próximos cinco dias.

Também em algumas regiões do norte da Índia, como o Rajastão, Himachal Pradesh e Uttarakhand, foram emitidos alertas de chuvas fortes associadas à estação das monções, segundo o IMD.

As chuvas de monções também atingiram fortemente o norte e o nordeste da Índia, onde pelo menos 231 pessoas morreram nas últimas três semanas e milhões foram afetadas.

Estes incidentes climáticos são comuns no sul da Ásia no auge das chuvas de monções, entre julho e agosto, que causam habitualmente centenas de mortos e afetam milhões de pessoas na região.

CSR // PAL

Lusa/Fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para que não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.