No boletim epidemiológico conjunto da Direção-Geral da Saúde e do Instituto Nacional da Saúde Doutor Ricardo Jorge, assinala-se que a taxa de incidência nacional desceu dos 394,6 casos verificados na segunda-feira para 376,9.

Considerando apenas Portugal continental, este indicador também desceu passando dos 403,1 casos registados na segunda-feira para os 384,5 casos de infeção por SARS-CoV-2 por 100 mil habitantes.

Quanto ao Rt - que estima o número de casos secundários de infeção resultantes de uma pessoa portadora do vírus - desceu hoje dos 0,94 notificados na sexta-feira a nível nacional para os 0,92, mantendo tendência descendente. No continente o Rt desceu também de 0,94 para 0,92.

Os dados do Rt e da incidência de novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias - indicadores que compõem a matriz de risco de acompanhamento da pandemia - são atualizados pelas autoridades de saúde à segunda-feira, à quarta-feira e à sexta-feira.

O nível de risco na matriz de monitorização da pandemia de covid-19 fixa-se agora em 480 casos por 100 mil habitantes a 14 dias em vez dos anteriores 240.

De acordo com o portal do Governo para a covid-19 na Internet, "a monitorização da evolução da pandemia continuará a ser feita com base nos indicadores de incidência e Rt [índice de transmissibilidade], agora adaptados de acordo com a evolução da vacinação (nível de alerta passa para 240, nível de risco passa para 480)".

A alteração na matriz de risco havia sido sugerida pelos especialistas na reunião no Infarmed, no dia 27 de julho.

A pandemia de covid-19 fez pelo menos 4.247.231 mortos em todo o mundo, entre mais de 199,5 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, desde que a OMS detetou a doença na China em finais de dezembro de 2019, segundo o balanço da AFP com base em dados oficiais.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17.412 pessoas e foram registados 977.406 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

GC // JMR

Lusa/fim

A dose certa de informação. Sem contraindicações.

Subscreva a newsletter Dose Diária.

Esteja em cima do acontecimento.

Ative as notificações do SAPO.

Damos tudo por tudo, para não lhe falte nada de nada!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #portalSAPO nas suas publicações.