Após vários estudos relacionados com as “falsas” emissões de CO2 dos veículos híbridos e híbridos plug-in, vai mesmo haver alterações no que diz respeito aos incentivos a este tipo de automóveis. A proposta do PAN para a limitação dos incentivos fiscais a veículos híbridos e híbridos plug-in no Orçamento de Estado de 2021 foi aprovada em Parlamento. O documento prevê a correção de “distorções relativas a motores híbridos” no que diz respeito do cálculo do ISV (Impostos Sobre veículos), IRC e IVA.

Então, quais são os carros híbridos plug-in sujeitos ao incentivo? De acordo com a SIC, só vão ser abrangidos veículos que tenham “uma autonomia em modo elétrico superior a 80 km, apresentem uma bateria com capacidade igual ou superior a 0,5 kWh/100 kg de peso de veículo, e emissões oficiais inferiores a 50 gCO2/km”.

Esta medida reduz significativamente o número de carros híbridos plug-in abrangidos pelo incentivo, aliás, chega a ser difícil encontrar algum que se enquadre neste novo panorama. O objetivo, segundo o PAN, é reduzir os apoios a “híbridos plug-in da fachada”.